Visitas: 61468998 - Online: 145

Segunda-Feira, 19 de Fevereiro de 2018

CLARETIANO
Rondocap

06/06/2016 08:34:39
      
Assista vídeo: mulher forja a própria morte na Bahia e “notícia” viraliza em Rondônia

Autora da “pegadinha” sofre de distúrbios psiquiátricos


A imagem de uma mulher, supostamente morta num acidente de trânsito, mostrou a força da internet para disseminar fraudes em Rondônia. A foto também circulou em grupos de WhatsApp, junto com a versão de que a “vítima”  teria sofrido um acidente de trânsito e seria sepultada como indigente, caso nenhum familiar aparecesse para reclamar seu corpo.

A fraude, divulgada de boa fé inclusive por autoridades estaduais e servidores da saúde, ganhou “ares de verdade” nas redes sociais. Em Vilhena, onde informação “fake” correu entre jornalistas, as versões variavam: em alguns postagens, dizia-se que a mulher estava internada num hospital de Ariquemes e, em outras, falava-se que o óbito acontecera no Hospital Regional de Cacoal.

Clique aqui e assista ao vídeo na qual a própria mulher desmente a armação e, abaixo, leia na íntegra a reportagem de um site baiano revelando a armação.


Mulher forja a própria morte para causar comoção

Em vídeo, a mulher pede perdão e justifica o ato

A foto de uma jovem, supostamente, morta circulou nas redes sociais e causou uma grande polêmica. Na imagem é possível ver a moça, que não teve a identidade revelada, enfaixada e enrolada em um saco plástico para coleta de cadáveres utilizado nos Institutos Médicos Legais (IML). 

Junto com a imagem, há um áudio de uma suposta funcionária do IML, falando que a jovem morreu em um acidente de carro e que o corpo está sem identificação. Segundo a suposta funcionária, caso nenhum familiar apareça para reconhecer o corpo, ela será enterrada como indigente. 

Após a divulgação do áudio e da imagem nas redes sociais, a mulher “morta” veio a público pedindo desculpas por ter inventado a história da própria morte. Segundo ela, a mentira foi criada com o intuito de saber quais pessoas se importariam com sua ausência. O caso ocorreu em Feira de Santana, na Bahia. 

Segundo o psiquiatra Fábio Gomes, que trabalha no Hospital Universitário Walter Cantídio, a moça apresenta problemas neurológicos que precisam ser acompanhados por um especialista. “Forjar situações para as pessoas se compadecerem de sua dor não é algo saudável. Há de se levar em conta o ambiente familiar dessa jovem, talvez ela tenha uma baixa auto estima, e isso pode ter levado-a a usar de artimanhas para saber o quanto é querida por pessoas próximas.” disse. 

Para Fábio, a atitude em questão, só deve pior o convívio da mulher com as pessoas próximas, “Depois disso, o mais provável é que as pessoas passem a desconfiar dela e não acreditem em mais nada do que ela disser ou fazer. Será difícil para os outros acreditar em suas palavras a partir de agora." 



Fonte: CNEWS
Autor: Da redação


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2018. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Segunda-Feira, 19 de Fevereiro de 2018
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871