Visitas: 56555968 - Online: 119

Sábado, 18 de Novembro de 2017

CLARETIANO
LEO





10/04/2017 15:46:05
      
Secretário aponta déficit de R$ 10 milhões na Saúde e denuncia desvio de recursos em Vilhena

Vasques apresentou relatório de 100 dias de gestão

Na manhã desta segunda-feira,10, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Vilhena apresentou relatório de 100 dias de gestão. A audiência, que lotou o auditório da Semed, teve como objetivo expor a situação da Rede de Saúde no Município e ações que foram desenvolvidas no primeiro trimestre de2017. 

A exposição foi comandada pelo titular da Saúde, Marcos Aurélio Vasques, e em seguida a prefeita Rosani Donadon (PMDB) e presidente da Câmara, Adilson de Oliveira (PSDB) fizeram suas considerações. Vasques ressaltou que o momento é oportuno para apresentar à sociedade, bem como às instituições de controle, uma prestação de contas e a real situação do setor em Vilhena. Tem como propósito, ainda, exibir a forma como vêm sendo conduzidos os trabalhos à frente da Pasta que é a mais desafiadora. 

HOSPITAL REGIONAL
Alvo das maiores críticas e de um embate político, o Hospital Regional demonstra ser o centro da crise instalada na saúde vilhenense. Conforme dados apurados pela Semus, é gritante a carência de profissionais médicos em diversas áreas e de técnicos, além da falta de equipamentos. A unidade concentra ainda uma frota de veículos que não servem mais para uso e estavam armazenados no pátio. “Um lixão a céu aberto”, descreveu o secretário. 

DÉFICIT
Em despesas com IRRF, restos a pagar, contribuições previdenciárias (INSS e IPMV), folha de pagamento, revisões contratuais, entre outras, a conclusão das estatísticas aponta um déficit inicial de R$ 10 milhões no setor. O cálculo é baseado na previsão do recurso, menor que a demanda de consumo, folha, e manutenção do patrimônio. 

DESVIO DE FINALIDADE
O relatório aponta ainda um montante de R$1,215 milhões de recursos com desvio de finalidade. Os valores mais altos estão relacionados à Saúde Indígena, onde foi detectada a falta de exatos R$ 725.88,74 e à reforma da UTI, que teve um prejuízo de R$ 200 mil, em razão da quantia ter sido utilizada para pagamento dos salários de servidores. A importância, conforme explicou Vasques, deverá ser devolvida para cobrir o caixa para onde a verba era destinada. 

OBRA SUSPEITA
O recurso de R$ 200 mil, destinado para uma obra nas instalações do HR não foi localizado, de acordo com o secretário. Em razão de várias falhas no projeto, a reforma está interrompida e o valor comprometido. O benefício que estaria disponível para o setor de obstetrícia não tem nem mesmo construção de sala para parto.
Outros problemas foram detectados na farmácia do HR, que não tinha o básico de remédios para atender nem por duas semanas, segundo o levantamento. Também foram encontradas em situação de abandono as unidades básicas de Saúde, como o postinho do bairro Cristo Rei, onde foram flagrados entulhos, lixo e as próprias instalações estavam infestadas por caramujos e criadouros de mosquito da dengue. 

SEMUS EM AÇÃO 
Após exposição das dificuldades encontradas no primeiro trimestre de gestão, Vasques destacou que foi realizado o teste seletivo com oferta de 53 vagas para contratação emergencial de médicos. Também foi realizada a seleção pública para preenchimento de 28 vagas em Programa de Residência Médica e Multiprofissional em Saúde. 

O secretário anunciou também o andamento do concurso público para contratação de médicos e técnicos de enfermagem uma empresa para a prestação de serviços de plantão médico em anestesiologia.

Além disso, foi encaminhado à Câmara de Vereadores projeto de lei para suplementação do orçamento vigente, totalizando R$ 8,4 milhões para aplicação de recursos federais em equipamentos. Do total, R$ 800 mil já estão empenhados para a aquisição de ventiladores pulmonares, monitores multiparâmetros e veículos. 

Para que o pronto-socorro do hospital não fosse fechado, a Semus autorizou a entrega de R$ 235.985,01 em medicamentos, material e insumos. A aquisição só pode ser feita através de reconhecimento de dívida, necessidade justificada pelo chefe do setor responsável pelo procedimento que dispensou licitação pública. 




Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Sábado, 18 de Novembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871