Visitas: 52931341 - Online: 207

Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017

Ultrasonografia
LEO





23/06/2017 07:49:06
      
Com 3 mil hectares de floresta plantada, Vilhena se destaca na produção de goma-resina

Engenheiro florestal mostra viabilidade econômica da atividade

Com uma média de extração de três toneladas por hectare por ano, a goma-resina extraída do pinus se torna um excelente atrativo econômico em reflorestamento da espécie em Vilhena e região. A meta do governo estadual é alavancar o setor, gerando riquezas, abrindo mercados e solidificando Rondônia como o principal Estado do Norte brasileiro em florestas plantadas até o ano de 2020. Rondônia possui 3 mil hectares plantados na região de Vilhena.

“O reflorestamento com pinus é rentável, um excelente negócio a longo prazo”, disse um dos pioneiros no plantio da espécie em Vilhena, o engenheiro florestal Aparecido Donadoni, que colhe os frutos na área experimental dele desde 2006.

Do reflorestamento do pinus, a goma-resina é extraída durante todo o ano. Cada árvore produz em média três quilos do produto, que tem nas indústrias paulistas o destino comercial assegurado, livre de frete. A resina é matéria-prima de primeira qualidade utilizada na fabricação de cosméticos, materiais de limpeza e higiene, pneus, explosivos, solventes, verniz, entre outros mais de dois mil produtos.

O cultivo da espécie também é indicado aos agricultores familiares, já que as propriedades são pequenas e a cultura pode ser consorciada com outras lavouras e até mesmo com a criação do gado, sem afetar a rentabilidade uma da outra. Donadoni aconselha ao pequeno produtor a investir e demonstra o lucro futuro.

“Três pessoas são suficientes para cuidar de 20 hectares e colher 60 toneladas/ano da resina. Isso em dinheiro representa R$ 150 mil ao ano, ou seja, R$ 12.500 ao mês. O trabalho não impede o prosseguimento dessas mesmas pessoas em outras atividades que já mantêm no sítio”, garantiu o engenheiro florestal, remetendo a uma família de três pessoas.

Além da resina, que já pode ser extraída a partir do oitavo ano do plantio, a madeira do pinus é utilizada na construção civil e fabricação de móveis. Toda a produção de Vilhena é vendida em Rondônia. “Quando atingirmos o reflorestamento a 15 mil hectares teremos madeira para exportar. Os Estados Unidos é o principal mercado consumidor”, antecipou Donadoni.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Ambiental (Sedam) opera mecanismos de incentivo ao reflorestamento. No dia 7 de julho, o órgão realizará, também em Vilhena, um Dia de Campo com o objetivo de fomentar o plantio da espécie e também do eucalipto.

“A Sedam está finalizando um diagnóstico sobre reflorestamento em Rondônia com o escopo de traçar novas estratégias a longo prazo, incrementando o setor. Neste planejamento estão inclusos atrativos, como linhas de créditos com taxas mais baixas e carências maiores”, anunciou o coordenador estadual de Floresta Plantada, o engenheiro florestal Edgar Menezes Cardoso.





Fonte: Secom/RO
Autor: Da redação


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Quinta-Feira, 21 de Setembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871