Visitas: 56646834 - Online: 126

Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017

CLARETIANO
LEO





29/08/2017 11:22:04
      
“Bala” ou “doce”? Ação da PF mostra o que baladas de Vilhena são movidas a drogas sintéticas

Baladeira diz que entorpecentes de laboratório são “combustível” de festas

Após a repercussão da prisão de três empresários, acusados pela PF de traficarem drogas sintéticas em Vilhena, o FOLHA DO SUL ON LINE entrevistou uma garota de 24 anos, que confirma: nas baladas locais, é comum encontrar jovens consumindo este tipo de produto.

A jovem, que participa ativamente da vida noturna vilhenense, explicou que os entorpecentes sintéticos, geralmente usados por pessoas de renda mais alta (ao contrário do crack, destinado a consumidores classes D e E), fazem parte da maioria das festas. Um comprimido custa, em média, R$ 50, e há quem use vários durante a noite.

A entrevistada revelou ainda como as “drogas de laboratório” são tratadas na intimidade: o “doce” é o LSD, que provoca alucinações; a “bala” é o Ecstasy, que dá energia e causa agitação.

A própria PF admite que, mesmo com a apreensão recente, o combustível das baladas locais continua chegando. Mas novas ações para combater o tráfico podem ser deflagradas.



Fonte: Foto ilustrativa
Autor: Da redação


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871