Visitas: 56836648 - Online: 115

Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017

CLARETIANO
LEO





01/09/2017 18:17:08
      
Prefeita de Vilhena comenta pedido de CPI contra ela e diz estar “de consciência limpa”

Denúncias não têm fundamentos para homologar pedido
 
A prefeita de Vilhena, Rosani Donadon (PMDB), decidiu comentar o caso relacionado ao pedido de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) protocolada na Câmara, esta semana, por um advogado membro da sua oposição. A prefeita lamentou a perseguição da qual vem sendo vítima, e disse estar tranquila quanto ao caso em específico.

Ainda segundo a prefeita, as supostas denúncias apresentadas por Caetano Netto (portariado da Assembleia Legislativa de Rondônia) não têm fundamentos para gerar uma CPI, menos ainda para lhe tirar o direito de exercer o mandato, concedido pela maioria da população. “Sabemos que há pessoas interessadas exclusivamente no poder e que estão tentando usar os vereadores a fim de conseguirem atrapalhar o desenvolvimento do Município”, disse Rosani. A prefeita reiterou que seu trabalho está pautado na transparência, pois vem mantendo suas ações dentro do que a lei exige.

ENTENDA OS FATOS
Sobre os medicamentos, a prefeita explicou que o lote em questão custou R$ 243 mil. A compra foi aprovada pelo Conselho Municipal de Saúde, e recebida pela comissão de recebimentos, criada pelo Poder Executivo para conferir todas as compras desse tipo. “Estamos falando de vidas que foram salvas por esses medicamentos. A compra foi feita em caráter emergencial, assim como determina a lei. Os pacientes estavam precisando”, acrescentou. Conforme o secretário de saúde, Marco Aurélio Vasquez, a compra foi feita dentro do que regulamenta a lei, em critérios estabelecidos pela CMED. “Fizemos publicações na imprensa oficial convidando as empresas para participar do processo”, relatou.

Quanto a compra do rolo compactador, a prefeita explicou que o equipamento fora adquirido conforme especificação do Tribunal de Contas do Estado de Rondônia (TCE-RO). “Em todas as reuniões em que estive com representantes do órgão, ficou determinado que a lei exige que as aquisições devem ser feitas através de pregão eletrônico, formato que proporciona a compra pelo menor preço e transparência. E assim foi feito. A CPL vem tratando de todas as compras com o maior rigor, inclusive todas as licitações são acompanhadas pelo Ministério Público”, diz.

Questionada sobre as acusações de nepotismo, Rosani Donadon esclareceu que os contratados são pessoas de grande capacidade técnica, além de serem de sua confiança. “Vou cumprir com o que a justiça determinar”, pontuou.

Quanto a denúncia relacionada ao combustível, de acordo com o Secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos (SEMOSP) Josué Donadon, fora utilizado pelo maquinário do DER e outras parcerias, que contribuíram com os serviços emergenciais. “Não aceito e não admito nenhum tipo de esquema. O combustível foi utilizado para o benefício da comunidade. Para que a verdade prevaleça, tão logo o caso chegou ao meu conhecimento, designei uma comissão para fazer um levantamento na Secretaria de Obras a fim de esclarecer o ocorrido. Encaminhei o caso às polícias Civil e Federal, à câmara de vereadores e também ao Ministério Público para que todos pudessem contribuir com a investigação”, explicou.

A prefeita de Vilhena fez questão de ressaltar que vem dando o seu melhor, sem medir esforços para trabalhar em prol do Município. “Toda a equipe é testemunha do quanto estamos lutando por todas as áreas do Município. As mudanças já são visíveis e estamos trabalhando para proporcionar ainda mais benefícios à nossa comunidade”, arrematou.  



Fonte: Folha do Sul
Autor: Assessoria


teste











Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Quinta-Feira, 23 de Novembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871