Visitas: 54937618 - Online: 268

Domingo, 22 de Outubro de 2017

VALDOMIRO RODEIO
LEO





03/10/2017 09:48:48
      
Descaso da organização põe em risco continuidade do JIR em Ariquemes

Atleta que se machucou teve que esperar mais de meia hora por socorro pois não havia ambulância no local da competição

 

A 11ª edição dos Jogos Intermunicipais de Rondônia (JIR), que este ano acontece na cidade de Ariquemes, pode entrar para a história do desporto do estado como o pior de todos até então já realizados. As críticas dos atletas participantes e a insatisfação dos dirigentes das equipes tem se tornado constantes nos primeiros três dias do evento.

 

Entre os pontos mais comentados de forma negativa pelos participantes estão: a desorganização do transporte para levar os atletas no horário do almoço e da janta; os hotéis, onde algumas delegações estão hospedadas, parte deles encontram-se em péssimas condições de acomodações; não há ambulância disponíveis e nem equipe de saúde para casos de emergência nos locais e horários de competições; o principal ginásio, Albrei Ferraço, três dias após abertura do evento, ainda não secou totalmente na quadra, mas mesmo assim os jogos foram autorizados; os jogos da tarde no Alberi Ferraço são obrigados a parar uns 15 minutos por causa do sol que atrapalha a visão de um dos goleiros; parte da arbitragem não chegou no sábado e nem domingo, mas os jogos aconteceram, como por exemplo, os de Voleibol que não contaram com os bandeirinhas de ponta de quadra; e, ainda tem a chuva que interrompe os jogos nas quadras, pois as quadras ficam encharcadas e com poças d’água.

 

Mas a polêmica não para por aí. Procurados por dirigentes de equipes, a representação da Superintendência da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel) disseram que a responsabilidade de tudo que ocorrer durante o evento é de competência do município sede.

 

Para o secretário de Esportes e Cultura de Vilhena, Natal Jacob, que acompanha a delegação do seu município desde a abertura na noite de sexta-feira, 29, há um descaso total por parte da organização na busca de solucionar os problemas. “Infelizmente, o que estamos presenciando é lamentável e o pior é que ninguém quer assumir a responsabilidade dos problemas do JIR. Incrível, mas o ginásio principal da cidade não estava pronto nem para a abertura, muito menos para receber os jogos. Nossa equipe de handebol masculina foi prejudicada no jogo da tarde de segunda-feira, 02, por causa do atraso do translado até o ginásio. Só depois de várias tentativas por telefone para a coordenação é que veio uma combi para pegar a comitiva de 15 atletas e mais 4 dirigentes. Tivemos que conseguir um carro particular para concluir o transporte da equipe, mas mesmo assim chegamos em cima da hora e nem deu tempo para o aquecimento dos jogadores. Se já não bastasse, um dos jogadores se machucou e era preciso que fosse encaminhado para atendimento no hospital, mas não tinha ambulância e tivemos que esperar mais de meia hora para que o socorro chegasse. Isso é inconcebível e inadmissível em um evento esportivo de grande porte como é o JIR. Farei um relatório apontando as falhas até o momento registradas e, com assinatura dos dirigentes das equipes que estão se sentindo prejudicadas, entregaremos um documento oficial ao superintendente da Sejucel, Rudney Antônio Paes”, destacou Natal Jacob.



Fonte: Folha do Sul
Autor: Assessoria Semec


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Domingo, 22 de Outubro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871