Visitas: 57890659 - Online: 123

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017

CLARETIANO
JAURU






11/10/2017 07:45:00
      
Mesmo correndo riscos, ex-vereador vai ser operado no MT para evitar nova humilhação em Vilhena

Dores insuportáveis fazem paciente preferir cidade sem UTI

Mesmo colocando a própria vida em risco, já que a cidade não dispõe de UTI, o ex-vereador Jorge Fernandes Leite, 50 anos, de Pimenteiras do Oeste, viajou no início da noite de ontem para Vila Bela da Santíssima Trindade (MT). Ele vai tentar na cidade matogrossense a cirurgia que lhe foi negada em Vilhena. Entenda o caso clicando aqui.

Maltratado no Hospital Regional de Vilhena, onde recebeu alta mesmo se queixando de fortes dores, o ex-parlamentar estava hospedado na casa de uma irmã. Os familiares conseguiram junto à médica Marcela Vendana, de Pimenteiras, um novo encaminhamento, para que ele voltasse a ser internado no HR, mas Jorge preferiu a viagem. 

A recomendação da profissional de saúde, para que o ex-parlamentar retornasse ao hospital, onde deveria permanecer aguardando a cirurgia, contrasta com a ordem dos colegas dela, que deram alta e mandaram o paciente para casa.

Alegando que já não queria passar por todo o desgaste mais uma vez, e mesmo com as dores cada vez mais fortes, Jorge encarou a viagem a fim de não repetir a polêmica. 

Na cidade do Mato Grosso, ele deverá ser submetido a novos exames, inclusive quanto ao risco cirúrgico, já que, segundo sua esposa, a unidade vilhenense não lhe permitiu levar sequer as xerox dos documentos sobre sua condição.

Ao comentar a situação, a direção do Hospital Regional e o secretário de saúde, Marco Aurélio Vasques, desmentiram todas as acusações feitas pelos amigos do paciente e veiculadas no site.

Para quem acha que houve alguma interferência política no encaminhamento do paciente, a surpresa: ele recebeu a solidariedade de um pastor evangélico, que o visitou no Regional e se compadeceu de sua situação. O religioso, que tem contatos em Vila Bela, providenciou o atendimento de urgência, recomendado para o caso.

A família nega que Jorge tenha tentado se beneficiar ou passar à frente de alguém. E lembra: ele preferiu viajar para não se envolver em mais polêmicas. “Mas o que o levou mesmo a buscar essa alternativa são as dores. Ele não estava mais agüentando”, disse a esposa, a assistente social Elce Cavalcanti Murbach.



Fonte: Folha do Sul
Autor: Da redação


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871