Visitas: 246649 - Online: 116

Sábado, 21 de Abril de 2018

Claretiano
Rondocap

22/01/2018 11:31:26
      
EPIDEMIA REGIONAL: milhares de pessoas são infectadas com conjuntivite em Vilhena e Juína

Farmácias da cidade registram procura recorde por colírios

Após o FOLHA DO SUL ON LINE divulgar alertas de oftalmologista vilhenense sobre o surto de conjuntivite na cidade, Juína, município do Mato Grosso que fica a 240 km de Rondônia, também emite sinal amarelo: os números apontam para um total de mais de 500 infectados com o vírus naquela cidade em menos de 2 meses.

De acordo com o site JuínaNews, a Vigilância em Saúde contabilizou, até a última terça-feira (16), um aumento de 115 casos de contaminação. Apesar da somatória total de registros ultrapassar 500 casos, a Vigilância em Saúde afirma que o número pode ser superior a 1500 ocorrências no município, sendo que a grande maioria não procura as unidades de atendimento na área da saúde, recorrendo ao tratamento domiciliar.

Em entrevista com a perícia médica do Estado e com farmácias da cidade, a reportagem da FOLHA pôde constatar que, em Vilhena há, pelo menos, dois mil casos de conjuntivite. Algumas farmácias do Centro, por exemplo, chegaram a registrar mais de 20 vendas diárias de colírios destinados ao tratamento dos sintomas da inflamação. Inclusive, a maioria está com o estoque zerado ou comprometido para esses tipos de colírio.

A situação é alarmante, visto que o contágio é rápido e a contaminação tem início dois dias antes dos sintomas começarem e continua vários dias após o olho voltar ao normal.

ABRANGÊNCIA 
As prateleiras de farmácias em Várzea Grande (MT) também estão sofrendo com a falta de colírios após o surto atacar a cidade neste fim de ano. Em Ji-Paraná a situação não é diferente: o Hospital Municipal Claudionor Roriz registrou nas últimas três semanas 116 casos de conjuntivite viral em Ji-Paraná. O número preocupa o Departamento de Vigilância em Saúde da Prefeitura de Ji-Paraná, que notificou surto da doença oftalmológica junto ao Sinan, Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Governo Federal.

O número pode ser ainda maior do que o registrado pelo Hospital Municipal, pois muitas pessoas procuram clínicas particulares ou nem buscam ajuda médica. Os pacientes atendidos com conjuntivite moram em vários bairros de Ji-Paraná, não tendo concentração da doença.

Em Porto Velho o surto atacou de três formas diferentes: adenovírus (semelhante ao da gripe), enterovírus (dá feridas no corpo) e coxsackie (infecta pele, unhas, olhos, vias respiratórias, coração, garganta, bexiga, pâncreas, fígado, cérebro ou meninges).



Fonte: Folha do Sul
Autor: Herbert Weil


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2018. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Sábado, 21 de Abril de 2018
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871