Visitas: 57914150 - Online: 164

Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017

CLARETIANO
JAURU






29/06/2009 20:42:15
      
CIRURGIAS NOS OLHOS COLOCARIAM VILHENENSES EM RISCO

O médico oftalmologista Marco Túlio Teodoro, de Vilhena, manifesta preocupação sobre a situação de pacientes da região que têm sido operados de catarata no município de Guayaramerin, na Bolívia, a 1050 km.  Cerca de 140 moradores do Cone Sul já foram, em excursão, para esta cidade boliviana receberem o atendimento. Em Vilhena, o atendimento oftalmológico não é feito através do SUS (Sistema Único de Saúde), havendo quatro especialistas que atendem em clínicas particulares.

As operações feitas pela “Operación Milagro” ocorridas na Bolívia fazem parte de um convênio com o Governo de Cuba. De acordo com Marco Túlio, as cirurgias colocam a saúde visual dos pacientes em risco. “Os médicos são cubanos e de outros países aqui da América do Sul formados em Cuba, onde a medicina está atrasada há 50 anos”, afirma, com contundência. Relatos de pacientes informam que não é feita a esterelização adequada do instrumental cirúrgico. O método adotado - com incisão - também estaria ultrapassado, uma vez que atualmente a cirurgia de catarata é feita através de laser.  

Teodoro trouxe à redação do site www.folhadosul.com.br  um recorte do jornal “Diário de Cuiabá” com reportagem sobre um quadro parecido ao de Guayaremerin. A matéria, com o título “Tragédia em Mato Grosso”, mostra que San Mathias, a 80 km da cidade mato-grossense de Cáceres, recebe milhares de pacientes brasileiros com problemas nos olhos. De acordo com a matéria, num “hospital acanhado e sem estrutura”, os médicos realizam cirurgias complexas e os resultados têm sido nefastos: uma série de infecções e a perda de visão de pelo menos uma paciente já foram constatados.

Em Vilhena, desde abril tem saído um ônibus a cada mês rumo a Bolívia. A arregimentação destes pacientes é feita pelo presidente da Associação de Moradores do Setor Seis, Ricardo Ferreira. Ele próprio foi operado de pterígio e rebate as acusações dos médicos e assegura que nenhum caso de imperícia foi verificado até o momento em Guayramerin. Ele garante, ainda, que o hospital onde ocorrem as cirurgias é \"absolutamente higiênico\".

As viagens para a Bolívia contam com o apoio da prefeitura de Vilhena, que cede uma enfermeira para acompanhar os pacientes, e do deputado Luizinho Goebel (PV), que ajudou a custear o combustível na primeira viagem feita a Bolívia.       

O PRESIDENTE DO CONSELHO BRASILEIRO DE OFTALMOLOGIA (CBO), HAMILTON MOREIRA, CONDENA AS OPERAÇÕES NA BOLÍVIA

Moreira afimrou ser \"lamentável\" o que está acontecendo com as pessoas que estão procurando atendimento médico na Bolívia. Quatro pessoas de Cáceres (MT) chegaram a ficar cegas por causa de uma infecção grave. Segundo matéria do Diário de Cuiabá, foi preciso retirar o globo ocular dos pacientes e, no lugar, colocar uma prótese, depois que se submeteram a cirurgias feitas por médicos formados em Cuba.  

O presidente da CBO afirmou que a prática - operar num país vizinho - é uma forma de burlar a autonomia das autoridades brasileiras e criticou a atitude das pessoas que apóiam este tipo de ação, \"dirigentes e lideranças políticas que se preocupam apenas com a promoção pessoal\". Hamilton disse, ainda, que tão logo foi informado do problema, fez contato com o Ministério da Saúde.

 



Fonte: FS e Diário de Cuiabá
Autor: Júlio Olivar e Clarice Navarro Diório


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2017. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Terça-Feira, 12 de Dezembro de 2017
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871