Visitas: 60312561 - Online: 133

Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018

CLARETIANO

26/10/2011 10:37:58
      
Iniciativa da Unir distribui plantas nas escolas para combater dengue em Vilhena

Com o objetivo de combater a proliferação da dengue neste período chuvoso, a Universidade Federal de Rondônia, por meio Departamento de Administração, em parceria com a Prefeitura de Vilhena e com o apoio do Banco da Amazônia (Basa), esteve na segunda-feira, 24, na Escola Municipal Cristo Rei para dar início ao Projeto Libélula.

Tendo como base a conscientização, o projeto recebeu o nome de Libélula devido à planta Crotalária que será distribuída nas escolas. É uma planta leguminosa que, além de repor o nitrogênio do solo, possui um flor atrai a Libélula, que é o predador natural da larva e do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue.

Sob a coordenação dos professores Aparecida Magali G. Teixeira, Sidiney Rodrigues e Graziela L. Franco Martinez, o projeto foi apresentado ao Banco da Amazônia e à Secretaria Municipal de Educação, recebendo apoio e participação dos dois. “Na Universidade o projeto tem como objetivo mostrar aos acadêmicos de administração a responsabilidade do administrador, que ultrapassa a função de gerir pessoas ou recursos. O administrador tem responsabilidades sociais com a comunidade”, destacou professor Sidney Rodrigues.

No evento de lançamento, José Carlos Arrigo, secretário municipal de Educação, parabenizou aos idealizadores e disse que o prefeito Zé Luiz Rover (PP) tem trabalhado constantemente para oferecer educação e saúde de qualidade para a população. “O trabalho de combate à dengue devemos fazer todos os dias, assim estaremos cuidando na nossa própria saúde”, destacou.

Desta forma, o projeto será desenvolvido nas escolas com palestras e filmes de conscientização. “A linguagem será adequada de acordo com a idade dos alunos, para que eles possam chegar em casa e conseguir falar para a família o que aprendeu na escola”, frisou Sidiney.

Aparecida Magali expôs aos presentes, acadêmicos de Administração, alunos e professores da EJA e comunidade, que o projeto Libélula passará por todas as 24 escolas municipais. Ainda destacou que todos nós somos responsáveis pela medicina preventiva. “Todos temos obrigações sociais e esta começa na escola. Limpar nosso quintal, evitando deixar focos para proliferação do mosquito é nossa obrigação”, enfatizou.

Amanda Martins, Gerente de Educação Ambiental, disse que as escolas municipais já realizam um trabalho constante de prevenção à dengue. “Nossa escolas tem vários projetos onde os alunos recolhem lixo reciclável como latinhas, garrafas plásticas, papelão. Assim eles aprendem desde a preservar o meio ambiente e se proteger de doenças, como por exemplo, a dengue”, disse.

As sementes da planta crotalária estão sendo doadas pela Agropecuária Menegol.



Fonte: Semed
Autor: Ivanete Damasceno


teste










Newsletter

Digite seu nome e e-mail para receber muitas novidades.

SMS da Folha

Cadastre seu celular e receba SMS com as principais notícias da folha.






2018. Folha do Sul Online
Todos os diretos reservados - GNT Criativa
Terça-Feira, 23 de Janeiro de 2018
Comercial: (69) 3322 3322 - Redação: (69) 3322 4871